Campanha PRESENÇA DIGITAL -AGOSTO
Facebook
25/01/2017 - 14h28m

OAB-TO E CAATO

Advocacia de Araguatins ganha equipamentos e apresenta reivindicações

Daniel Machado

“Sempre nos sentimos esquecidos e abandonados pela OAB-TO (Ordem dos Advogados do Brasil no Tocantins). Temos muita esperança que a partir de agora isso mude”, ressaltou a presidente da OAB em Araguatins, Cristiane Aparecida de Carvalho Costa, ao comentar o projeto OAB em Campo, iniciado nesta terça-feira, 24 de janeiro.

Localizada no Bico do Papagaio (Extremo-Norte do Estado), Araguatins fica a mais de 640 quilômetros de Palmas. A cidade, a sexta maior do Tocantins, tem cerca de 35 mil habitantes. O sentimento de abandono por parte da Ordem é geral na advocacia e, por isso, o projeto OAB em Campo foi recebido com entusiasmo, mas com bastante serenidade, pelos advogados e advogadas da cidade.

Neste primeiro dia de caravana, a comitiva do projeto, que leva todos os serviços do sistema OAB e da CAATO (Caixa de Assistência aos Advogados) ao interior, foi a três escritórios da cidade, visitou a cadeia pública, o Foro de Araguatins e, no fim da tarde, promoveu uma grande roda de conversa com mais de 20 advogados do município.

“A avaliação é mais do que positiva, pois a OAB chegando em Araguatins para ver a situação em que nós estamos trabalhando, vai ver que não tínhamos assistência alguma da própria a OAB. E, com a vinda da caravana aqui, certamente as reivindicações serão apresentadas e a direção da OAB vai atender”, frisou Renato Santana Gomes, ex-presidente da OAB Araguatins em duas ocasiões, ao ressaltar que jamais se sentiu atendido e apoiado pela seccional.
Para as reclamações estruturais, a OAB-TO e CAATO já providenciaram soluções. Nesta terça mesmo, foi entregue um computador novo para a sala da OAB de Araguatins, autorizada a compra de novos móveis com projeto de instalação para reestruturação completa do espaço e triplicada a velocidade da internet do local de 5 MB para 15 MB. Além disso, a OAB-TO já determinou a compra de um aparelho ar condicionado split para o parlatório da Cadeia Pública da cidade.

Previdenciários
Outro escritório visitado pela comitiva foi o do advogado Vladimyr Viera. Atuante nas áreas Previdenciária e de Cobrança, Viera tem uma decoração de móveis muito particular, com a maior parte das mesas, estantes e armários feitas a partir de madeiras de canoas de madeira. Assim, a decoração é toda de forma de barco, o que gera elogios dos clientes e amigos.

No campo jurídico, o advogado falou das dificuldades de quem atua na área Previdenciária e elogiou as ações desta gestão da OAB para melhorar a imagem dos profissionais. Ele também destacou a necessidade de se defender as prerrogativas da advocacia.

“Eu vejo isso (o OAB em Campo) com muita energia positiva e estou bastante agradecido pela oportunidade de receber a equipe toda e vemos que temos a assessoria que precisamos e isso nos dá uma tranquilidade a mais na nossa profissão. Para mim, foi de grande valia mesmo, estou me sentindo muito honrado”, frisou Viera.

Na próxima semana, o advogado será nomeado membro da Comissão de Direito Previdenciário da OAB-TO pelo presidente Walter Ohofugi.

Na sequência, o OAB em Campo foi ao escritório da advogada Tamires Chaves Vilarino. Ela falou das dificuldades enfrentadas pelos advogados na cidade, em especial na área trabalhista.

“Só temos que parabenizar a atual gestão e esperar que cumpra o projeto de cuidar dos advogados do Bico do Papagaio, que não têm sido bem cuidados pela a OAB ao longo da história”, ressaltou.

Federalização
Antes da grande roda de conversas com quase todos os advogados atuantes da cidade, o presidente da OAB-TO, Walter Ohofugi, o procurador-adjunto de Prerrogativas Jander Araújo, e a comitiva da OAB composta pela Assessoria da Presidência, CAATO, ESA (Escola Superior de Advocacia), TED (Tribunal de Ética e Disciplina) ouviram vários pedidos de intervenção da OAB para que ocorra a federalização de uma investigação envolvendo cinco homicídios e denúncias de espancamento de acusados.

Roda de Conversas
A roda de conversas foi um diálogo franco e direto, onde todos os presentes se apresentaram e tiveram a oportunidade de expor os problemas e dificuldades da advocacia da cidade e da região. As reclamações passavam desde a captação ilegal de clientes por partes de sindicatos, atuação indevida da Defensoria Pública, até comportamento ilegal de policiais.

Ohofugi e sua equipe registraram tudo e cada uma das demandas será respondida. Os advogados e advogadas de Araguatins também agradeceram várias vezes a diretoria da OAB pelo desenvolvimento do projeto e pela atenção dada, agora, ao Bico do Papagaio.

Nesta quarta-feira, 25 de janeiro, o projeto OAB em Campo estará em Augistinópolis.

Deixe seu comentário:


senacGPSWRFarcom