BANCO DA AMAZÔNIA campanha mercadológica
Facebook
26/09/2019 - 20h16m

JUDICIÁRIO

Servidor trabalhando feliz e produzindo mais, Justiça Cidadã leva bem-estar aos integrantes do Judiciário na Região do Bico

Abelson Ribeiro / Fotos: Rondinelli Ribeiro

Seguindo o cronograma de visitas a todas as comarcas do Estado, o Projeto Justiça Cidadã contemplou mais cinco comarcas, desta vez na Região do Bico do Papagaio. Nesta semana, as comarcas visitadas foram Araguatins (23/9), Augustinópolis (24/9), Axixá (25/9) e Itaguatins (26/9). Nesta sexta-feira (27/9), a caravana do Judiciário encerra a semana na Comarca de Tocantinópolis.

Na programação uma série de atividades voltadas aos magistrados e servidores, no sentido de capacitar, orientar e promover melhores condições de trabalho. Dentre os serviços oferecidos em todas as edições estão capacitação para o Programa Pai Presente; balcão de atendimento previdenciário; orientações na utilização do Sistema e-Proc/TJTO; e uma série de palestras sobre segurança institucional, sustentabilidade, planejamento estratégico e saúde do servidor.

Saúde e qualidade de vida

Sobre esse último tema, além da palestra sobre saúde laboral, a equipe do Espaço Saúde do Tribunal de Justiça realizou atividades práticas e atendimentos como reeducação postural no ambiente de trabalho, acupuntura e auriculoterapia. Para a fisioterapeuta da unidade, Sandra Carvalho, “todas as atividades levadas aos servidores pela nossa equipe médica tem o objetivo de melhorar a qualidade de vida da pessoa, para que o profissional trabalhe mais feliz e possa oferecer mais produtividade ao público que ele atende”.

Ainda de acordo com a fisioterapeuta, a adoção de novos hábitos de vida mais saudáveis, como fazer ginástica laboral, ter uma boa alimentação e realizar atividades físicas regularmente, faz a diferença tanto na saúde física quanto mental. “Ser saudável faz bem para o corpo e para a mente. O trabalho que a equipe do Judiciário vem fazendo nesse sentido já mostra resultados práticos, como aumento na produtividade e a diminuição de afastamentos de servidores por motivos de saúde”, revelou.

Já para os servidores, o “momento” saúde foi a motivação que eles precisavam para adotar definitivamente novos hábitos de vida mais saudáveis. A técnica judiciária Maria Orcirema Marino Leite, servidora em Axixá há 24 anos, disse que se sentiu valorizada com a presença dos profissionais da saúde na sua comarca. “A gente se sente mais motivada com essa atenção. O Tribunal de Justiça está nos enxergando e isso é motivador para nós. Pretendo começar a praticar alguma atividade física assim que eu puder, porque agora entendo o quanto isso será bom pra minha saúde”, disse a servidora.

Balcão de Informações Previdenciárias

O Justiça Cidadã também está levando aos servidores um atendimento personalizado para tirar dúvidas sobre aposentadoria e previdência. Esse trabalho está sendo feito pelo chefe do Serviço de Acompanhamento à Carreira, da Diretoria de Gestão de Pessoas, Josivan Alves Monteiro. “A proposta da Digep com o Balcão de Informações é esclarecer todas as dúvidas a respeito da carreira do servidor, principalmente no que diz respeito aos direitos e deveres previdenciários. Nos atendimentos individualizados, nós fazemos o levantamento das informações e passamos as orientações necessárias. Isso serve tanto para alimentar o nosso banco de dados, quanto para facilitar a vida do servidor na hora de se preparar para aposentadoria”, explicou Josivan.

Rodas de conversa

Além da audiência pública, aberta a toda comunidade local e cidades vizinhas, que sempre acontece no período da manhã, e das palestras dirigidas aos servidores, há também um momento especial e exclusivo para os servidores, no qual todos podem fazer perguntas e questionamentos diretamente ao presidente do TJTO. A reunião ficou conhecida como roda de conversa por ter um caráter mais informal e participativo. Durante essas reuniões, que acontecem no período da tarde, os servidores formam um círculo onde todos, inclusive o presidente do TJ, podem ver e falar diretamente uns com os outros. É nesse momento que os servidores deixam a inibição de lado e falam abertamente.

Após a roda de conversa que aconteceu em Augustinópolis, a servidora Neide Maria dos Santos, que trabalha na Comarca há 25 anos, disse que acompanhou a evolução do Judiciário tocantinense desde quando ainda se utilizava papel e máquina de datilografar. “Quando comecei nossa ferramenta de trabalho era a máquina de escrever, não tínhamos estrutura nenhuma. Hoje temos o e-Proc, temos salas confortáveis e computadores modernos. Mas o que temos de mais importante é a atenção do Tribunal de Justiça com os servidores. Hoje nós somos ouvidos, respeitados e valorizados”, relatou a servidora.

Para o presidente, desembargador Helvécio Maia, o momento é próprio para deixar os servidores mais à vontade e assim poderem falar sem nenhum tipo de censura. “Viemos para ouvir e ajudar o servidor no que for possível. Sabemos que o Judiciário ainda tem a evoluir, e é somente ouvindo de perto as demandas das comarcas que iremos ter embasamento necessário para tomar as melhores decisões”, garantiu.

Ao fazer uma reflexão sobre o Projeto Justiça Cidadã, o desembargador Helvécio ressaltou que a importância da aproximação da instituição Poder Judiciário com a sociedade é algo que não se pode mensurar. “Todas as ações que estamos fazendo nessa gestão são para que o Judiciário seja mais eficiente na prestação da Justiça à sociedade. Poder olhar nos olhos do cidadão e reconhecer o respeito e a gratidão dele pelo nosso trabalho é algo que não tem preço.”

Deixe seu comentário:

ENERGISA   Campanha: PRESENÇA DIGITAL SETEMBROCampanha INSTITUCIONAL - OUTUBRO   assembleiasenacGPSFARCOMWR