Campanha PRESENÇA DIGITAL -AGOSTO
Facebook
21/02/2019 - 15h52m

LEI COMPLEMENTAR

Projeto de extinção da Redesat tramita na Comissão de Constituição e Justiça da AL

O projeto de lei complementar que propõe a extinção da Fundação Radiodifusão Educativa do Estado do Tocantins – Redesat – foi encaminhado na manhã desta quarta-feira, 20, à Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJ). De acordo com a matéria, os programas, projetos e atividades da emissora serão absorvidos pela Fundação Universidade Estadual do Tocantins – Unitins.

Segundo o governador Mauro Carlesse (PHS), a medida faz parte do conjunto de soluções destinadas a aperfeiçoar a gestão das unidades administrativas que integram o Poder Executivo, com o objetivo de manter o equilíbrio entre receitas e despesas. Ainda segundo o Executivo, em 2018 a emissora gerou despesa da ordem de R$ 8,7 milhões para o Estado, recurso que a partir de sua extinção poderá ser empregado em educação, saúde e segurança pública.

Histórico

A antiga Companhia de Comunicação do Estado do Tocantins – Comunicatins – foi instituída em 1989. A TV Palmas e a Rádio Palmas foram criadas em 2003, quando ocorreu a unificação das marcas que passaram a ser representadas pela Redesat.

Em setembro de 2015, a Assembleia Legislativa aprovou o Projeto de Lei Complementar, de autoria do Poder Executivo, que reestruturou o quadro de cargos de direção e chefia da Redesat.

A emissora está presente em 109 municípios do Estado, com a geradora em Palmas e mais 31 retransmissoras próprias em operação, além de estar disponível para toda a América do Sul, via satélite. A 96 FM gera, a partir de Palmas, sinal que abrange 40 municípios ao redor de sua torre, localizada na Serra do Lajeado, no Distrito de Taquaruçu na Capital. (Com informações da Diretoria de Comunicação AL)

Deixe seu comentário:


senacGPSWRFarcom