CAMPANHA - PRESENÇA DIGITAL WEB 1
Facebook
31/05/2019 - 18h28m

SAÚDE

Palmas oferta vacina da gripe a toda população até o fim do estoque

Secom Palmas

Em Palmas, até a tarde desta sexta-feira, 31, 58.140 pessoas receberam a vacina (Foto: Raíza Ribeiro)

Na próxima segunda-feira, 03, as pessoas que não fazem parte do público prioritário da Campanha de Vacinação contra a Influenza poderão se vacinar, enquanto durarem os estoques da vacina na rede de saúde da Capital. A Secretaria Municipal de Saúde (Semus) está organizando as equipes dos 32 Centros de Saúde da Comunidade (CSCs) para atenderem a população. Em Palmas, até a tarde desta sexta-feira, 31, 58.140 pessoas receberam a vacina, o que representa 88,4% do total do público alvo que é de 65.165 pessoas.

A recomendação de estender a toda população é do Ministério da Saúde (MS) e foi enviada aos estados e municípios nesta sexta, 31. De acordo com informações do MS a medida evitará desperdício de doses nas localidades que não alcançarem a meta de imunização no público-alvo, que continua sendo prioritário. Essas pessoas tiveram entre os dias 10 de abril e 31 de maio para se vacinar com exclusividade.

Durante o período da campanha, foram imunizadas 73,08% gestantes, 70,28% das puérperas, 76,9% de crianças entre 6 meses a menores de 6 anos,122,59% de idosos, indígenas, 103,16% professores,  81,67% trabalhadores de saúde, 74,81% de pessoas com co-morbidades. A escolha do público prioritário no Brasil segue recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) por serem grupos mais suscetíveis ao agravamento de doenças respiratórias.

A vacina produzida para 2019 teve mudança em duas das três cepas que a compõem e protege contra os três subtipos do vírus da gripe que mais circularam no último ano no Hemisfério Sul, de acordo com determinação da OMS: H1N1; H3N2; linhagem B/Victoria/2/87. A vacina contra gripe é segura e reduz as complicações que podem produzir casos graves da doença.

Tratamento da gripe

Todos os estados estão abastecidos com o fosfato de oseltamivir e devem disponibilizá-lo de forma estratégica em suas unidades de saúde. Para o atendimento do ano de 2019, o Ministério da Saúde já enviou aproximadamente 9,5 milhões de unidades do medicamento aos estados. O tratamento deve ser realizado, preferencialmente, nas primeiras 48h após o início dos sintomas.

Deixe seu comentário:

senacGPSWRFarcomShop do BicoSucesso FMBAUVereador Professor Júnior GeoWELLBlog do Felipe de Sá