Basa campanha: MERCADOLÓGICA
teste
BRK AMBIENTAL/Campanha: Site Tocantins 2022 -Maio/Junho
Facebook
02/08/2022 - 21h22m

OPERAÇÃO

Forças de Segurança garantiram tranquilidade para moradores e turistas que visitaram praias de três cidades do Bico

Redação

Operação Praias Seguras levou para os municípios com Temporada de Praia ostensivo do Corpo de bombeiros, Polícia Militar e suporte da Secretaria de Segurança Pública (SSP) por meio do Sistema Integrado de Operações (Siop) durante o mês de julho.

Ostensivo da Polícia Militar durante  a Operação Praias Seguras (Foto: Polícia Militar/Governo do Tocantins)

Desde o início da Temporada de Praia 2022, o Governo do Tocantins se empenhou em garantir segurança aos moradores e turistas que visitam as atrações naturais dos rios tocantinenses. São centenas de militares do Corpo de Bombeiros (CBMTO) e Polícia Militar (PMTO), além de agentes da Polícia Civil, atuando nos municípios que detém praias em suas demarcações. Algumas das cidades do Bico do Papagaio com maior fluxo de pessoas que receberam a Operação Praias Seguras foram: Araguatins (Praia Ponta da Areia); Itaguatins (Praia do Remanso dos Botos e praia Tio Claro); e Tocantinópolis (Praia da Santa).

A comandante operacional do Corpo de Bombeiros do Estado do Tocantins, tenente-coronel Andreya de Fatima Bueno, explicou que a Temporada de Praia deste ano foi um sucesso. A corporação atendeu praias classificadas com níveis 4 e 5 de acordo com normas técnicas da própria entidade. “Além disso, houve a presença de guardas-civis treinados pelo Corpo de Bombeiros e contratados pelas prefeituras em muitas outras praias importantes do Estado”, ressaltou. Sobre a norma técnica, ela ponderou que isso se refere a área de banho delimitada, placas de sinalização que garantem conforto e uma segurança muito maior para os banhistas e para aqueles que são responsáveis pelos serviços oferecidos nas praias.

Para se ter uma ideia de como funcionou o trabalho dos Bombeiros na Operação Praias Seguras, é necessário observar os números divulgados pela própria corporação. Foram 15 praias que receberam de forma direta guarda-vidas dos Bombeiros nos finais de semana, 77 localidades foram vistoriadas e mais 36 praias tiveram guarda-vidas civis treinados pela corporação.

Ainda sobre os números, a corporação registrou, até o último domingo, 31, quatro mortes, 10 salvamentos aquáticos, 42 atendimentos pré-hospitalares, 199 atividades preventivas aquáticas, e 33 mil outros registros de ações preventivas nas praias. Tudo isso foi possível graças ao uso de 19 viaturas, 12 embarcações, 40 militares empregados por final de semana e 115 multiplicados pelo número de serviços.

Siop

O diretor do Sistema Integrado de Operações (Siop), tenente-coronel QOPM, Adão Pereira dos Santos, explicou que a Operação Praias Seguras reuniu vários órgãos atores do Sistema de Segurança Pública do Estado do Tocantins, no sentido de integrar, mediar e articular trabalhos previstos nas abordagens nas praias. Para o militar, as ações conjuntas nas cidades que recebem turistas vieram a calhar após os dois anos de demanda reprimida, devido à pandemia da covid-19. "O Siop atua para encurtar a distância, e assim a coesão dos envolvidos para o sucesso da operação. Mas, cada ente envolvido mantém a sua autonomia, pois qualquer plano é flexível, podendo ser adaptado, readaptado, de acordo, com cada realidade. Assim, como as praias tem suas particularidades”, destacou.

Ainda segundo o tenente-coronel QOPM, Adão Pereira dos Santos, o objetivo maior em unir Bombeiros, Polícia Militar e a Secretaria de Segurança Pública (SSP) é trazer a sensação de segurança e paz social para a sociedade. “Essa integração possibilita isso, vez que, os possíveis causadores dos eventos críticos ao observarem essa união acabam desistindo dos intentos contraventores", explicou.

Ciopaer

Também fez parte da operação o Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer), que atua em diversas frentes em apoio a outras unidades de segurança. Segundo o diretor da entidade no Tocantins, major Gustavo Bolentini, o policiamento ostensivo e repressivo realizado em parceria com os militares, foi de extrema importância para auxiliar nas buscas em casos de afogamentos, ou naufrágios. "Estamos capacitados para operar nessas ações, em um afogamento somos capazes de saltar do helicóptero para o salvamento, temos suporte para atendimento médico pré-hospitalar. Se houver um crime em uma região de praia conseguimos intervenção muito rápida com a ajuda do helicóptero. Estamos inseridos em uma operação contra a pesca predatória e no monitoramento contra incêndios em áreas verdes", explicou o diretor.

Para essa atuação, o Bolentini explicou que, com a retomada da temporada de praias após dois anos de pandemia, a equipe fez um planejamento para que o helicóptero estivesse em estado operacional, com manutenção completa da aeronave. "Definimos a relação de praias visitadas de acordo com o movimento para conseguir atender a todas". Por fim, o diretor do Ciopaer destacou que, de forma geral, houve muita tranquilidade nas praias, pessoas conscientes, após trabalho de prevenção. "A maioria das praias estão demarcadas com área para banhistas e contam com atendimento prévio dos próprios municípios e também do Estado", declarou.

Polícias Civil e Militar

A Polícia Militar informou que 1.740 policiais participaram do efetivo de segurança nos finais de semana nas praias do Tocantins. Com eles, 250 veículos foram utilizados para transporte e suporte nas ocorrências em mais de 50 cidades tocantinenses. Até o final da temporada de praia, 378 eventos precisaram do ostensivo da PM-TO.

Ainda sobre a Operação Praias Seguras, 145 policiais participaram do efetivo da Polícia Militar Ambiental.  E, conforme a SSP, outros 75 agentes foram enviados para reforçar o efetivo nas delegacias de Polícia Civil.

Deixe seu comentário:

SenarcolcciClésioShop do BicoClínica AndréPraia do Pedral de PalmeirasAvecomA Fonte das LetrasGPS