BANCO DA AMAZÔNIA campanha mercadológica
Facebook
23/09/2019 - 19h58m

CONCURSO DE REDAÇÃO

Estudantes do Colégio Militar de Araguatins se engajam no projeto Justiça Cidadã

Mara Roberta / Fotos: Rondinelli Ribeiro

Fatos da atualidade, busca por justiça e especialmente pelos direitos humanos, que são todos os direitos relacionados à garantia de uma vida digna a todas as pessoas, além dos conteúdos debatidos em sala de aula. Esses foram os subsídios citados pelas alunas Ana Beatriz Matias de França (1º lugar), Ângela Vieira Amorim (2º lugar) e Sarah Alves Felício (3º lugar) para vencer o concurso de redação com o tema Cidadania e Justiça, promovido pelo Tribunal de Justiça. O concurso faz parte do Projeto Justiça Cidadã que, nesta segunda-feira, 23, teve suas atividades realizadas no Colégio da Polícia Militar Professora Antonina Milhomem, em Araguatins.

Além da premiação do concurso de redação, que contou com a presença do diretor-geral do Tribunal de Justiça, Jonas Demóstene Ramos, durante todo o dia, os alunos tiveram palestras com a equipe do Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd) e também puderam tirar dúvidas sobre crimes digitais e receberam orientações de como usar as redes sociais com responsabilidade, com o investigador de polícia Odelino Fonseca, especialista em crimes cibernéticos. A pedagoga Lílian Gama, da Escola Superior da Magistratura Tocantinense (Esmat), conversou com os estudantes sobre inteligência emocional.

Proteção à Criança e ao Adolescente

Outro momento importante da programação foi a roda de conversa com representantes do sistema de Justiça, sobre a rede de proteção à criança e ao adolescente. Os estudantes do Colégio Militar surpreenderam os debatedores com perguntas bem elaboradas sobre os mais diversos assuntos da atualidade. Participaram o juiz José Carlos Tajra Reis Júnior, representando o Poder Judiciário; o promotor Décio Gueirado Júnior, do Ministério Público; a advogada Andréa Gonzalez Graciano, da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-TO); o delegado Tiago Bristorff, representante da Polícia Civil; e o tenente coronel W. Costa, da Polícia Militar.

O juiz Tajra Júnior elogiou o preparo dos alunos do Colégio Militar. “Fiquei feliz e surpreso com o nível dos questionamentos. Eles perguntaram, por exemplo, como foi feito o projeto de lei de abuso de autoridade e a diferença sobre legítima defesa e estado de necessidade. São estudantes engajados tanto socialmente quanto com os estudos e com o seu desenvolvimento como pessoa”, destacou.

O diretor do Colégio, tenente coronel Márcio Cardoso Almeida, disse que se sentiu muito orgulhoso de ver os alunos conversando com autoridades. “Isso demonstra que estamos no caminho certo, conduzindo esses jovens no civismo, no acesso à Justiça e à plena cidadania. Somos muito gratos a essa parceria. Sem a presença do Tribunal de Justiça talvez ficássemos com essa lacuna, que esse evento veio a suprir junto aos nossos alunos”, ressaltou.

O Colégio da Policia Militar - Unidade IV - Professora Antonina Milhomem foi inaugurado em março do ano passado e conta hoje com 862  alunos matriculados nas três séries do ensino médio.

Deixe seu comentário:

ENERGISA   Campanha: PRESENÇA DIGITAL SETEMBROCampanha INSTITUCIONAL - OUTUBRO   assembleiasenacGPSFARCOMWR