Campanha PRESENÇA DIGITAL -AGOSTO
Facebook
01/08/2019 - 19h32m

WORKSHOP

Defesa Civil Estadual e Corpo de Bombeiros Militar participam de Workshop sobre Plano de Ação de Emergência da Usina Hidrelétrica de Estreito

Redação

Participantes do Workshop visitam instalações da UHE de Estreito

O Workshop foi realizado nesta terça-feira, 30, pelo Consórcio Estreito Energia (CESTE), que administra a Usina Hidrelétrica de Estreito, com o objetivo de apresentar o Plano de Ação de Emergência (PAE) da UHE de Estreito, a todos os entes envolvidos. O evento aconteceu na própria UHE, em Estreito-MA.

Durante o Workshop, o tenente-coronel Geraldo da Conceição Primo, coordenador-adjunto da Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil, apresentou as ações que estão sendo implementadas para a criação e fortalecimento das Defesas Civis Municipais, a proposta de capacitação dos municípios na elaboração de planos de contingências municipais bem como o passo a passo do Plano de Contingência.

O tenente-coronel Primo em sua apresentação aos participantes do evento

Segundo o Tenente-Coronel Primo, “desde o ano passado, estamos trabalhando na implantação e fortalecimento das Defesas Civis Municipais, pois são elas as responsáveis pela coordenação desses planos de contingências”, explicou.

Programação

A Usina Hidrelétrica fica no Rio Tocantins e afeta diretamente 15 municípios dos dois estados, sendo oito no Tocantins e sete no Maranhão.

O Plano de Ação de Emergência é um documento obrigatório de responsabilidade do empreendedor e nele estão todas as informações de segurança, de operação e de estabilidade da estrutura da barragem (Usina) além do mapa de inundação onde constam as áreas impactadas em cada um dos municípios, caso haja o rompimento da barragem da Usina. Ele traça o tempo em que as ondas vão chegar às regiões abaixo da construção, bem como as medidas emergenciais que deverão ser tomadas pelo empreendedor, em caso de desestre.

A segurança em barragens é dividida em duas etapas, sendo a interna, que é o PAE, que trata de inspeções, laudos, monitoramentos da estrutura do barramento e da definição da área inundada em caso de rompimento da barragem e quais as comunidades impactadas num em caso de rompimento do barramento. Essa responsabilidade é exclusiva do empreendedor”, explica o Tenente-Coronel Primo.

Na fase externa do Plano, segundo o superintendente, são os chamados Planos de Contingência, feitos para cada município impactado e estão a cargo da Defesa Civil Municipal. Nos dois casos, as ações de cada parte são estabelecidas pela Política Nacional de Segurança das Barragens.

Houve ainda a participação do tenente-coronel Ciro Guimarães, o major J. Neto e o major Martins, do 2º Batalhão de Bombeiros Militar de Araguaína; do major Sidmarcos, da Companhia de Bombeiros Militar de Araguatins; do Major Jairon coordenador-adjunto da Defesa Civil Estadual do Maranhão, do superintendente da Defesa Civil Municipal de Imperatriz, do comandante do quartel do Corpo de Bombeiros Militar de Estreito, e outras autoridades.

Sala cheia para a apresentação do coordenador-adjunto da Defesa Civil Estadual, tenente-coronel Primo

Deixe seu comentário:


senacGPSWRFarcom