CAMPANHA - PRESENÇA DIGITAL WEB 1
Facebook
30/03/2018 - 22h58m

ESPORTE

Aru, índio e ex-atacante do Palmas morre em acidente de carro na cidade de Marabá-PA

Arú, defendeu as cores do Palmas no Brasileiro da Série D em 2015

Uma notícia triste neste feriado santo de sexta-feira Santa. O atacante Arú com passagem pelo Palmas em 2015 morreu em um acidente de carro nas primeiras horas de hoje, na cidade de Marabá, Sudeste do Pará. De acordo com o site Globoesporte.com (Pará), e informações de testemunhas, o carro do jogador – que ficou bastante danificado – se chocou com um caminhão na BR-222.

Paulo Aritana Sompre, conhecido como Aru, tinha 31 anos. Ele era um dos líderes do Gavião Kyikatejê, nome da tribo que fica no município de Bom Jesus do Tocantins, distante cerca de 450 quilômetros da capital Belém.

Palmas

Em 2015, a diretoria do Palmas contratou o atacante Paulo Aritana Sompre, o Arú, que além de defender as cores do Palmas no Brasileiro da Série D daquele ano foi indicado para ser o novo padrinho dos Jogos Mundiais Indígenas, competição que aconteceu na Capital entre 23 de outubro a 1º de novembro. Arú chegou como uma das atrações da competição mundial sendo o padrinho não-indígena do evento.

Mas Aru tinha grande ligação com o Tocantins, pois possuía raízes tocantinenses. Segundo ele, na época, seu pai é Xerente, e antes de mudar para o Pará, onde eu nasceu, ele se casou aqui. Então Arú tinha irmãos Xerente que moram no Tocantins.

Carro do atacante Aru ficou destruído com o acidente em Marabá-PA (Foto: Reprodução/TV Liberal)

O corpo do atacante, que estava sozinho no carro no momento do acidente, ainda se encontra no Instituto Médico Legal (IML). Segundo familiares de Aru, ele retornava de Marabá-PA para a aldeia em Bom Jesus do Tocantins, onde acontecem jogos indígenas. (JTO)

Deixe seu comentário:

1 Comentário(s)

  • Divino costa paixão | 31/03/2018 | 19:50 Em uma pena trabalhodo lamentáveis
CAMPANHA ARRAIÁ DA AMIZADE 2019senacGPSWRFarcomShop do BicoSucesso FMBAUVereador Professor Júnior GeoWELLBlog do Felipe de Sá