Facebook
22/03/2014 - 09h41m

O deputado federal Asdrúbal Bentes foi condenado por esterilizar eleitoras

Redação

O deputado federal Asdrúbal Bentes (PMDB) disse nesta sexta-feira (21) que irá se apresentar na vara de execuções penais de Brasília na próxima segunda-feira (24) para poder cumprir a condenação pelo crime de esterilização ilegal, do qual ele foi considerado culpado em 2011. O deputado, que ainda está em liberdade no município de Marabá, sudeste do Pará, diz que ainda não sabe se irá renunciar ao cargo ou enfrentar a cassação. "Eu vou para Brasília, além de me apresentar, conversar com lideranças nacionais e regionais, os meus familiares, minha mulher, meus filhos, e depois apresentar uma decisão. Não há motivo para precipitação. Estou com a consciência tranquila", disse Bentes.

O processo contra do deputado é considerado transitado em julgado, ou seja, com decisão definitiva, desde quinta-feira (20), quando o plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) rejeitou os últimos recursos movidos por Bentes e determinando a prisão do deputado. Bentes deve cumprir sentença de 3 anos, um mês e 10 dias em regime aberto, já que tem 74 anos.

Segundo Bentes, seus advogados estão acertando os detalhes finais sobre o cumprimento da pena, que incluem restrições de liberdade como impossibilidade de deixar a sua residência durante a noite, ingerir bebida alcoolica ou viajar sem autorização. Mesmo condenado, o deputado alega inocência: ele diz que 13 mulheres de Marabá foram esterilizadas, mas nega qualquer facilitação para estas cirurgias.

O deputado disse que, até ser preso, renunciar ou ser ou cassado, irá manter sua rotina. "Será normal. Vou para o congresso, vou participar das reuniões de comissão - aliás eu iria ser o relator da PEC sobre a criação de novos estados. Lamento profundamente porque eu acho uma necessidade urgente a redivisão territorial do país. O estado do Pará, o Amazonas, precisam da criação de novos entes federativos".

Mesmo com a possibilidade de perder o mandato, Bentes diz que não pretende abandonar a vida pública. "Eu quero deixar bem claro que isso vai ser um hiato na minha carreira política. Já disse que não vou sair pela janela", conclui.

Deixe seu comentário:

1 Comentário(s)

  • Zé Vicente | 22/03/2014 | 11:57 Esse ai pelo menos tava fazendo o bem. Tantas mulheres parem sem a minima condição de criar seus filhos.
WRGPSFarcomGPS portuguêsVereador Professor Júnior GeoGPSSucesso FMBAU(REDE SOCIAL - PORTAL MUSIC)WELLBlog do Felipe de Sá