kitnets
Facebook
17/11/2016 - 20h00m

MANDADO DE CONDUÇÃO COERCITIVA EM ABERTO

Amastha deve prestar depoimento à PF na terça, 22; Itelvino Pisoni também está sendo procurado

Redação

A Polícia Federal no Tocantins deverá ouvir na próxima terça-feira, 22, em Palmas, o depoimento do prefeito da Capital Carlos Amastha no âmbito da Operação Nosotros. O prefeito possuiu um mandado de condução coercitiva.

Amastha encontra-se em Barcelona (Espanha), onde participa de evento sobre o projeto Smart Cities- Cidades Inteligentes, no qual Palmas está inserida. Ele está fora do país desde o último dia 10 passado. O prefeito deve deixar Barcelona nesta sexta, 18, chegando ao Brasil no dia seguinte.

Nesta quinta-feira, a PF tentou localizar o presidente da Fecomércio Itelvino Pisoni, um dos indiciados nesta operação para colher seu depoimento. O empresário não foi localizado, pois também encontra-se em viagem para fora do país. Pisoni seria um dos empresários donos de lotes que seriam beneficiados com a construção do BRT.

Operação
A Operação Nosotros, que investiga fraude na licitação para a construção do Bus Rapid Transit (BRT), foi deflagrada pela Polícia Federal na quinta-feira, 10.

Na ocasião foram cumpridos 10 mandados de busca e apreensão e 12 de condução coercitiva, que é quando a pessoa é levada para depor. Dentre os envolvidos, apenas Amastha e Pisoni ainda não se apresentaram a PF.

Durante as buscas, que aconteceram nos endereços do prefeito de Palmas, de empresários e de secretários municipais, foram apreendidos R$ 180 mil em dinheiro e um dossiê contra a Polícia Federal.

A operação partiu após denúncia de um empresário que disse ao MPF que estava sendo coagido a ceder, gratuitamente, parte de suas terras, sob a ameaça de tê-las declaradas como de utilidade pública.

Deixe seu comentário:

jrarmazém paraíbarocha alGPSvalériaBAUSucesso FMDudu a Fora